1 milhão de participantes na Gay Pride de Colônia

1 milhão de participantes na Gay Pride de Colônia

( Blogmensgo, blog gay do 5 de julho 2016) quase 1 milhão de pessoas participaram da Gay Pride na Colônia, no dia 3 de julho 2016, o nome oficial da qual   Pride da Colônia 2016. Dois eventos muito especiais terão marcado 2016: Uma homenagem as 49 pessoas que morreram no Pulse Club de Orlando no dia 12 de junho 2016 e o 25 aniversario da Pride da Colônia (que é chamado assim desde 2002, mas existi desde 1991 chamado de CSD Köln; lembramos em alemão, a Colônia pronuncia Köln e Gay Pride soletra CSD,de referência para os eventos de Christopher Street).

20160705a-ColognePride-c-Joerg-Brocks-Photographi-2

Na Colônia, levamos o arco-íris até o fim com guarda-chuva (se proteger do sol e do homophobia). © Jörg Brock Photographi.

950.000 pessoas - como em 2015 - uns 50 carros animados se encontraram na Colônia, foi o detalhe porque foi a Gay Pride mais importante na Europa. A presença de bandeiras "We are Orlando" em memória as vítimas do tiroteio que entristeceu a comunidade LGBT no mundo inteiro. Como em Paris um dia antes, os participantes na Colônia usavam pulseiras, pretas. A cidade era vestida de bandeiras em arco-íris, mas muitas delas tinham sido postas para fazer as ultimas homenagens às vítimas de Orlando .

O aspecto festivo prevaleceu, claro que muitos carros, em banderas arco-íris e bolas multicores proveram visualmente. Também, as orelhas receberam testemunhos . As pessoas impacientes puderam além disso escutar, bem antes da parada da Colônia 2016, o funcionário intitulado hino "Vai Rosa." com a canção interpretada pela cooperação Fantástica, com o reforço de Jona Davis, como pode ser visto e ouvir aqui abaixo.

O Slogan oficial (Anders. Leben!) da Pride 2016 na Colônia, quase um explícito, mais um modo festivo de reivindicação. Podemos traduzir em francês por Uma vida diferente!.
De fato, o contexto alemão não é o mesmo que em países ocidental-europeus como a França, Bélgica ou Países Baixos. Na Alemanha, nenhum matrimônio gay; somente o pacs que leva o homossexual e a lésbica a cima da bestialidade mais primária, mas não os confere seres humanos isso é estado livre, se casar e ter filhos como qualquer outro ser humano.

20160705b-ColognePride-c-Joerg-Brocks-Photographi

Parabens ! 🙂 ©Joerg Brocks Photographi.

Além da legalização do matrimônio gay,  participantes da LGBT na Colônia levaram uma briga mais severa lutando contra a homophobia e o racismo. Quando ambas as pestilências conjugarem, eles afetam em primeiro os homossexuais e as lésbicas que evitaram o país de origem deles para procurar asilo na Alemanha. O país novo deles ainda não reserva o acolhimento que merecem, até mesmo se a cidade da Colônia é mais considerada amigável e mais de boas-vindas que a maioria das outras metrópoles alemãs.

As pessoas que teriam perdido a parada de 3 de julho na Colônia podem se oferecer uma sessão de se pôr em dia fazendo três horas, graças à radiodifusão repetida abaixo (se porém o link funcionar corretamente):

http://livestream.com/accounts/20263151/events/5707673

Philca / MensGo

 

 

No Comments Yet.

Leave a comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *